Tudo sobre anestesia: dúvidas frequentes

Antes de uma cirurgia surgem inúmeros receios relativamente à anestesia. Além de esclarecemos as dúvidas mais frequentes antes de uma intervenção cirúrgica, convidamo-lo a conhecer a Unidade de Anestesiologia do Hospital Lusíadas Lisboa e os profissionais que a compõem no vídeo que preparámos para si.

Na eminência de sermos submetidos a uma cirurgia, surgem inúmeros receios relativamente à anestesia.

Se tem questões ou dúvidas que gostaria de esclarecer antes de se submeter a uma anestesia, conheça este conjunto de respostas que a Unidade de Anestesiologia do Hospital Lusíadas Lisboa construiu para si.

Que tipos de anestesia existem?

  • Anestesia Geral:

Está inconsciente e completamente alienado do decorrer da intervenção cirúrgica, durante a qual são administrados vários fármacos e gases anestésicos.

  • Anestesia Regional:

Parte do corpo fica insensibilizada através do uso de anestésicos locais (anestesia espinhal (raquianestesia), epidural ou dos principais nervos periféricos). É quase sempre acompanhada de sedativos e analgésicos que o deixam confortável e tranquilo.

  • Anestesia Local:

Técnica de infiltração de fármacos para tornar a área anatómica pretendida insensível (“dormente”), semelhante à anestesia do dentista.

  • Cuidados Anestésicos Monitorizados (MAC):

Os anestesiologistas são cada vez mais solicitados para fora do bloco operatório, estando presentes em procedimentos como endoscopias digestivas, intervenções em exames de radiologia e procedimentos cardíacos. A atuação do anestesista é necessária para proporcionar conforto.

 Quais são os riscos da anestesia?

A probabilidade de uma pessoa saudável morrer durante a anestesia é comparável ao risco de uma viagem num avião comercial e mais seguro do que uma viagem de carro. Probabilidade de 1 para 200.000 a 1 para 400.000.

O anestesista fica comigo durante toda a intervenção cirúrgica?

O anestesista permanece na sala operatória para monitorizar e garantir a sua segurança. Também decide sobre: o tipo de soros que devem ser utilizados, a utilização de derivados de sangue, de antibióticos ou de fármacos para tratar a dor e para onde será feita a transferência após a cirurgia.

Porque não posso beber nem comer antes da cirurgia?

Numa situação normal, o nosso corpo tem mecanismos que permitem prevenir a regurgitação do conteúdo gástrico. Quando ficamos inconscientes, esses mecanismos não funcionam e há o risco de que esse conteúdo seja aspirado para os pulmões. Assim, é mais seguro ter o estômago vazio quando é efetuada uma anestesia geral. Numa situação de emergência, como pode ter comido recentemente, o anestesista tem de ter precauções especiais para reduzir o risco de aspiração pulmonar.

Direi coisas que não diria noutro contexto?

Não, isso nunca acontece.

Tenho um dente a abanar. Há algum problema?

O anestesista vai querer saber se tem falta de dentes, dentes a abanar, se usa prótese dentária ou se tem pontes/coroas. Quando está a ser intubado, como os dentes estão muito próximos, há sempre a possibilidade de um dente ser lascado ou danificado, principalmente se este estiver a abanar. No caso de um dente estar a abanar pode haver indicação para a sua remoção antes da cirurgia.

Eu preciso mesmo de um acesso venoso? Quando é que vai ser retirado?

Normalmente é colocado um acesso venoso, no dorso da mão, antes de “adormecer”. Este permite a administração de fármacos anestésicos, soros e também fármacos utilizados para tratar determinadas complicações como a hipotensão.

Normalmente é retirado quando começa a dieta via oral e quando não é necessário administrar antibióticos ou analgésicos por via endovenosa.

O que é a epidural?

A técnica epidural é realizada com anestesia local e sob ligeira sedação pelo que não é um procedimento doloroso. Consiste na injeção e colocação de um cateter de calibre cerca 1mm na região lombar e que pode ser usado durante a cirurgia ou na fase pós-operatório para tratamento eficaz da dor. Sendo muito preconizada na analgesia do trabalho de parto tem indicações em muitas outras cirurgias (abdominais, pélvicas, torácicas e dos membros inferiores).

O que é a raquianestesia?

Esta técnica é semelhante à epidural, sendo a administração dos fármacos num espaço anatómico mais profundo e na grande maioria das vezes não é colocado cateter. Nestas técnicas não existe a possibilidade de causar paralisia definitiva dos membros inferiores.

Quando é que posso voltar à atividade normal?

Depende principalmente do tipo de intervenção cirúrgica. Como os fármacos anestésicos administrados são eliminados horas após o procedimento, recomenda-se que não execute determinadas atividades como conduzir, manipular máquinas ou assinar documentos legais.

A minha medicação pode interferir com os fármacos anestésicos?

Normalmente mantém a sua medicação, mas a interação entre fármacos é sempre possível. Assim deve informar o seu anestesista da medicação diária.

Que efeitos secundários posso sentir?

Pode sentir náuseas e vómitos.

Se ainda tiver dúvidas, fale com o seu médico assistente e aproveite a consulta de anestesia – que será marcada antes da intervenção – para colocar todas as suas questões.

Conheça agora a Unidade de Anestesiologia do Hospital Lusíadas Lisboa e os profissionais que a compõem.