Sair à rua de cabelo molhado provoca constipações?

Se não usar secador antes de sair de casa, tenho mais probabilidade de ficar doente? Fátima Santos, médica de clínica geral do Hospital Lusíadas Albufeira, esclarece.

Sair de casa com o cabelo molhado provoca constipações?

Acabou de tomar banho, precisa de ir às compras e não secou o cabelo. Pode ficar doente se for à rua assim? A ciência é clara: as constipações são provocadas por vírus – conhecem-se mais de 200 – e não por mudanças ambientais. Não significa, contudo, que se deva ir para a rua de cabelo molhado ou sem casaco, em pleno inverno. “Ninguém deve andar de cabelo molhado ao ar livre, porque a diferença de temperatura pode favorecer o aparecimento de doenças”, explica a médica de clínica geral Fátima Santos, do Hospital Lusíadas Albufeira.

Um estudo de 2015 da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que os rinovírus, responsáveis pela maioria das constipações, se multiplicam mais rapidamente em ambientes com temperaturas baixas. O frio provoca também alterações no sistema imunitário que favorecem a reprodução destes vírus.

Várias pesquisas científicas feitas na última década, demonstraram que o ar frio do inverno pode secar a passagem nasal, facilitando a entrada de vírus no organismo. Muitas crianças ficam doentes mais vezes no inverno e no outono, porque estão mais vezes em contacto com outras crianças em espaços fechados, e não porque as temperaturas desceram.

No verão também é preciso secar o cabelo?

“Se se tratar de uma pessoa jovem e saudável e se o tempo estiver bom, não há problema se sair de cabelo molhado”, diz a médica Fátima Santos. A recomendação não é aplicável a idosos nem a pessoas com doenças crónicas ou graves.“No fundo, pessoas fragilizadas devem ter mais cuidado e secar o cabelo todo o ano”, aconselha a médica de clínica geral, sublinhando que em épocas mais frias ninguém deve passar demasiado tempo com o cabelo húmido.

A ideia de que sair à rua provoca constipações é antiga. Terá sido popularizada pelo químico francês Louis Pasteur, em 1878. O cientista expôs um conjunto de galinhas ao vírus do antraz e mergulhou-lhes as patas em água gelada. Os animais ficaram doentes e morreram. Algum tempo depois repetiu a experiência, mas enrolou as patas das galinhas num cobertor e estas sobreviveram. Perante estes cenários, Pasteur acreditou que a temperatura baixa seria a causa da doença. A conclusão ganhou força e desde então passou a associar-se a exposição ao frio ao surgimento de constipações. Uma ideia que sabemos hoje não ser correta.

Em suma:

Sair à rua de cabelo molhado não provoca constipações. No entanto, a exposição a temperaturas baixas pode favorecer o aparecimento de doenças.

 

Revisão científica:
Fátima Santos, médica de clínica geral no Hospital Lusíadas Albufeira e Clínica Lusíadas Forum Algarve

Especialidades em foco neste artigo:
Clínica Geral