Sabe como cuidar do seu coração?

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte nos países desenvolvidos. A boa notícia é que em grande parte dos casos podem ser prevenidas.

Sabe como cuidar do coração

Quais são os principais inimigos do coração? “Além da idade e do historial familiar, a hipertensão arterial, a diabetes, o colesterol elevado, o tabagismo e o excesso de peso”, responde o cardiologista Severo Torres, coordenador da Unidade de Cardiologia do Hospital Lusíadas Porto. Quanto maior for o número destes fatores de risco na mesma pessoa, maior será o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Assim, para eliminar os fatores de risco, terá de promover um estilo de vida saudável:

  • Não fumar;
  • Evitar a exposição ao tabagismo passivo;
  • Praticar exercício físico de forma regular;
  • Optar por uma alimentação saudável.

 

“Aconselho que se façam cinco refeições por dia, privilegiando o consumo de vegetais, fruta, cereais e peixe”, diz Severo Torres. “É também muito importante beber água, evitar alimentos salgados ou ricos em gorduras e açúcares, e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas”, acrescenta o cardiologista.

Condicionantes genéticos à parte, o que conta para manter um coração saudável, é o estilo de vida, sendo por isso essencial:

  • Dormir entre seis a oito horas por dia;
  • Desenvolver atividades de lazer, como a leitura, dança, desporto, meditação ou jardinagem, desde que combatam o stresse do quotidiano e consoante as aptidões de cada um.

 

Diagnóstico precoce

Os exames necessários para avaliar o estado de saúde do coração dependem de uma avaliação clínica prévia em consulta médica.

– O rastreio dos fatores de risco cardiovascular na população assintomática deve ser feito nos homens a partir dos 40 anos e nas mulheres a partir dos 50 anos ou após a menopausa.

 Um jovem sem sintomas, sem fatores de risco (nos quais se incluem a predisposição genética) com um exame físico e um eletrocardiograma normal terá pouca probabilidade de ter qualquer alteração cardiovascular.

– Na presença de fatores de risco devem ser definidos exames complementares como: eletrocardiograma, ecocardiograma, prova de esforço, doppler carotídeo, tomografia axial computorizada cardíaca e ressonância magnética nuclear cardíaca.

Doenças cardíacas mais comuns

  • Aterosclerose

Causada pela presença de certos depósitos na parede das artérias, incluindo substâncias gordas, como o colesterol. Afeta artérias de grande e médio calibre, sendo a causa dos Acidentes Vasculares Cerebrais e da Doença das Artérias Coronárias. Regra geral, não causa qualquer sintomatologia até aos 50/70 anos, embora possa atingir adultos jovens (30/40 anos), principalmente se estes forem fumadores inveterados.

  • Cardiopatia Isquémica

Doenças cardíacas provocadas por depósitos ateroscleróticos que conduzem à redução do Iúmen das artérias coronárias. Pode causar Angina de Peito ou Enfarte de Miocárdio.

  • Doença Arterial Coronária

Situação clínica em que existe estreitamento do calibre das artérias coronárias, provocando uma redução do fluxo sanguíneo no músculo cardíaco.

Sintomas

Quais os sintomas que indicam que devo consultar o médico?

  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Cansaço constante;
  • Desmaio;
  • Palpitações ou taquicardia;
  • Tosse seca persistente;
  • Tensão arterial alta;
  • Cor azulada nas pontas dos dedos ou unhas;
  • Tonturas;
  • Má circulação nas pernas;
  • Impotência sexual;
  • Inchaço nos tornozelos.

 

Se sofrer de qualquer um dos sintomas enunciados ou pertencer à população de risco, consulte atempadamente o médico.  Prevenção é a palavra de ordem.

“Para doenças tão comuns como o acidente vascular cerebral e o enfarte agudo do miocárdio, hoje dispomos de terapêuticas eficazes que nos permitem reduzir a sua gravidade e sequelas, sendo extremamente importante iniciar o seu tratamento o mais precocemente possível”, aconselha Severo Torres, coordenador da Unidade de Cardiologia do Hospital Lusíadas Porto.

 

Especialidades em foco neste artigo:
Cardiologia