Os refrigerantes causam celulite?

Sim. E o responsável é o açúcar e não o gás destas bebidas.

Os refrigerantes podem causar celulite?

Faça o exercício de verificar os ingredientes da lata de um dos refrigerantes à venda. Se for uma bebida tipo cola haverá 22 gramas por cada 200 mililitros. E um sumo de laranja gaseificado terá 7,8 gramas de açúcar por cada 100 mililitros. Esta quantidade de açúcar — que é quase um quinto dos 50 gramas de dose diária máxima recomendados pela Organização Mundial de Saúde para um adulto — é responsável pelo aparecimento de celulite. Razão: uma mulher que ingira mais hidratos de carbono (como o açúcar), gordura e sal e menos fibras é mais propensa a ter o chamado efeito “casca de laranja”. Portanto, quanto menos açúcar, melhor.
António Conde, coordenador da Unidade de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva do Hospital Lusíadas Porto, aconselha mesmo um “corte radical” com os refrigerantes. E até aquelas bebidas que substituem o açúcar por adoçantes devem ser evitadas porque estes também “têm potencial para fazer acumular gordura”.

Eis então porque o açúcar ajuda ao aparecimento de celulite:

Afinal, o que é a celulite?

Esta é a denominação popular para o que os médicos chamam de lipodistrofia ginóide e que descreve uma alteração estética nas coxas, nádegas e abdominais das mulheres. Afeta as camadas média e profundas da pele, com alterações vasculares e formação de fibroses que, em graus mais avançados, causam dor e desconforto.

E é um problema só feminino?

Maioritariamente, sim. É que em ¾ da população feminina o tecido adiposo, que é flácido, não é bem sustentado pelo tecido fibroso. No restante quarto de população feminina em que tal acontece, o tecido fibroso estende-se pelo adiposo, formando firmes tranças e dispondo a camada gordurosa em estratos, o que resulta numa aparência externa lisa. Nas restantes, o adiposo é dominante e aparece a celulite.

Aparece em que idade?

As primeiras alterações surgem logo a partir da puberdade. Em 90% das mulheres, este “efeito casca de laranja”, como também é descrito, surge entre os 12 e os 15 anos. Começa então uma hipertrofia das células de gordura, as paredes dos vasos tornam-se excessivamente permeáveis, a drenagem linfática fisiológica torna-se insuficiente, o tecido adiposo em excesso perturba o normal fluxo sanguíneo, e por fim, os fios de tecido conjuntivo formam as depressões cutâneas características da celulite.
E a aparência da celulite piora com a idade, o peso e sedentarismo.

Quais as causas da celulite?

São inúmeros os fatores que contribuem, de forma isolada ou interligada, para o desenvolvimento da celulite:

  • Primários (ou determinantes):

Em mais de 95% dos casos, a celulite resulta de uma predisposição genética. Os outros 5% devem-se a estímulos hormonais (principalmente estrógenos e catecolaminas), debilidade das fibras colágenas (que dão resistência à pele), à organização natural das células de gordura e a uma inflamação subtil por insuficiência do sistema microcirculatório (isto é, dos capilares sanguíneos).

  • Secundários (ou agravantes):

Como o stresse, o sedentarismo, a obesidade, alguma medicação, o tabagismo, o mau funcionamento intestinal e a excessiva exposição aos radicais livres.
Entre os fatores secundários inclui-se ainda uma alimentação inadequada, como por exemplo com défice de fibras, excesso de sal, de gorduras e de açúcares — como os que estão presentes nos refrigerantes.

Colaboração:
António Conde, coordenador da Unidade de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva do Hospital Lusíadas Porto

Especialidades em foco neste artigo:
Cirurgia Plástica e Reconstrutiva