Videoconsultas Lusíadas: dúvidas comuns

9 minutos de leitura

O serviço de Consultas Médicas Online permite-lhe realizar uma consulta com o seu médico sem ter de se dirigir às nossas Unidades.

Através do smartphone ou do computador poderá aceder facilmente a uma videochamada com os nossos especialistas, a partir de casa, com toda a tranquilidade e segurança. Tem alguma dúvida específica? Podemos ajudá-lo.

Preciso de falar com o meu médico. Como marcar uma videoconsulta?

O agendamento da consulta é feito através do Contact Center da Lusíadas Saúde e, posteriormente, recebe um e-mail e SMS de confirmação da consulta. Depois, no dia agendado para a consulta, recebe um SMS e um e-mail cinco minutos antes da mesma. Para se juntar à videoconsulta, basta aceder ao link associado e permitir o acesso à câmara e ao microfone do seu smartphone, computador ou tablet. Em poucos segundos estará em contacto com o médico no conforto da sua casa, local onde estará em maior segurança por estes dias.
Quando a consulta termina, é contactado pela equipa administrativa para que possa fazer o agendamento de consultas subsequentes, em caso de necessidade, e/ou exames complementares de diagnóstico, caso sejam prescritos pelo médico.

É preciso instalar algum software ou aplicação?

Não há necessidade de instalar qualquer software ou aplicação para aceder à videoconsulta.

Não tenho computador em casa, posso fazer a videoconsulta através do meu smartphone?

Sim, o link funciona em desktoptablet ou no smartphone.

Se precisar de ajuda durante o processo, o que devo fazer?

Caso surja algum imprevisto quando tenta aceder à videoconsulta, a ferramenta disponibiliza um chat de apoio. Se tiver dúvidas, pode consultar este vídeo que partilhamos abaixo, que o ajudará a perceber melhor todo o processo.

 

Se precisar de partilhar os resultados de um exame com o meu médico, como posso fazer?

Se for necessário partilhar documentos ou mesmo fotografias (de sinais ou lesões da pele, por exemplo), poderá fazê-lo através da plataforma. A mesma funcionalidade também está disponível após a videoconsulta começar.

O que acontece se o médico tiver de prescrever uma receita?

Terminada a consulta, o médico pode partilhar consigo receitas médicas e outros documentos. Para tal, receberá uma notificação por sms e e-mail e, ao carregar no link, acederá à área de documentos onde poderá encontrar os documentos partilhados pelo seu médico.

Não me sinto muito à-vontade para realizar a consulta por vídeo. Há alternativas?

Para aquelas pessoas que não se sentem tão à-vontade para fazer uma consulta por videochamada, existe a possibilidade de fazê-lo apenas através de áudio.

Feedback

O que dizem os clientes

  • Cliente da zona da Grande Lisboa

“Os meus agradecimentos e felicitações sobre a forma como decorreu a videochamada. Tanto a equipa técnica/informática e a equipa administrativa foram de um profissionalismo de louvar, eficiência e eficácia de 5 estrelas. Por favor, continuem a trabalhar desta forma, sempre a melhorar. Muito obrigado”

  • Cliente da zona da Amadora

“A videoconsulta decorreu na hora prevista e com muito boas condições. Excelente iniciativa como alternativa possível num momento em que as consultas presenciais não são viáveis.”

  • Cliente da zona de Beja

“Foi muito gratificante poder receber ajuda numa altura destas. Fico agradecido pela ajuda que me foi dada mesmo sendo por videoconsulta.”

  • Cliente da zona do Porto

“Só o espaço mudou porque de resto foi como se estivesse no consultório!”

  • Cliente da zona da Grande Lisboa

“Considero uma boa alternativa à consulta presencial. A plataforma de videoconsultas poderá igualmente ser considerada como um meio mais eficaz em casos de urgência, em situações em que os utentes têm dificuldade em se deslocar como, por exemplo, falta de mobilidade ou utentes que residam fora do concelho/país sem a necessidade de se deslocarem ao hospital. Considero ainda que é uma forma de muitas pessoas não terem que se ausentar do trabalho, podendo realizar a consulta numa sala, evitando assim, por vezes, uma ou duas horas que levariam no caminho para chegarem ao Hospital, estacionamento e na sala de espera, etc. Assim o tempo da consulta transforma-se apenas no tempo real da consulta. Penso que a acessibilidade é o ponto forte e a plataforma também é acessível, bastando somente o utente ter uma ligação de internet no seu telemóvel, tablet, laptop ou PC.”

O que dizem os médicos

  • Patrícia Maia – Coordenadora da Unidade de Medicina Geral e Familiar do Hospital Lusíadas Lisboa

“É sempre uma novidade e temos de ter sempre alguma capacidade de interiorização e aceitação para tornar todo o processo mais simples. Obviamente que para quem está mais familiarizado com questões informáticas, o processo torna-se mais simples, mas a base que existe não é difícil e acaba por ser algo intuitivo. As videoconsultas são uma forma facilitada de nos conseguirmos aproximar dos doentes e de lhes mostrarmos que continuamos cá para eles e acredito que esta disponibilidade é fundamental. Temos conseguido fazer consultas de continuidade, mas também de urgência, o que é um dado muito positivo, pois conseguimos aliviar os nossos colegas que estão neste momento nas urgências. O facto de vermos o doente e vice-versa torna este conceito mais personalizado, ao permitir uma maior proximidade entre o profissional e o doente. Em Medicina Geral e Familiar há a particularidade de serem relações com muitos anos e, por isso, os nossos doentes também estão preocupados com a nossa saúde e tem sido muito gratificante. Faço um balanço muito positivo deste novo serviço”.

  • Sandra Marques – Membro da direção da Clínica Lusíadas Almada

“Não considero que a adaptação ao sistema informático tenha sido difícil. O sistema é intuitivo e fácil de concretizar.
A videoconsulta foi uma necessidade que surgiu para dar resposta ao contexto atual, mas para alguns doentes poderá ser uma situação a considerar no futuro.
Para os doentes esta é também uma grande novidade. O mundo digital já está presente na vida de muitos doentes, sendo naturalmente mais desafiante para quem não tem essa prática. De qualquer forma, sinto compreensão e aceitação por parte de todos.
Tendo em conta as particularidades de cada especialidade médica, nem todas são passíveis de poder ter um acompanhamento à distância. No meu caso, grande parte da minha atividade assistencial prende-se com o sono. Neste caso, as consultas à distância são exequíveis e não acarretam qualquer compromisso em relação ao acompanhamento de qualidade que queremos dar aos nossos doentes.
Para doentes que residem longe dos hospitais, para os que têm dificuldades de locomoção e para todos os doentes com outras situações clínicas que os impeçam de se deslocar às unidades de saúde, a videoconsulta é algo a considerar posteriormente”.

  • Nuno Neuparth – Imunoalergologista das Unidades Lusíadas no Algarve

“A minha experiência com a tecnologia na Lusíadas Saúde é excelente, até mesmo fora do contexto de Covid-19. Todas as plataformas são user-friendly, nunca colocando de lado a segurança. Nas videonsultas destaco de imediato o facto de tudo funcionar muito bem sem grande necessidade de treino.
A meu ver, o mais difícil foi cumprir os timings da consulta devido à interiorização de todo o processo informático inerente à mesma. Dificuldades que, por vezes, já me levaram a pedir ao doente para aguardar enquanto escrevo toda a informação, levando mais tempo do que o habitual. No entanto, e de forma global, a experiência tem sido muito positiva.
O feedback de todos os doentes tem sido muito bom. Para além disso, as vantagens são mútuas e talvez também por isso até ao momento nenhum dos doentes com videoconsulta agendada faltou, algo que não é habitual nas consultas presenciais. Até já realizei uma consulta enquanto o doente andava de bicicleta”.

LER MAIS