Rinoplastia: reconstruir o nariz

5 minutos de leitura

Fazer uma rinoplastia altera o aspeto, estrutura e função do nariz, por razões estéticas ou funcionais. Por isso, deve ser fruto de uma decisão refletida, tomada em conjunto com os especialistas.

António Sousa Vieira, coordenador da Unidade de Otorrinolaringologia do Hospital Lusíadas Porto, esclarece algumas dúvidas relativamente aos objetivos e riscos de uma rinoplastia.

O que é uma rinoplastia?

Trata-se de um procedimento cirúrgico que pretende alterar o aspeto, estrutura e função do nariz, sempre que exista uma deformidade nasal visível, com ou sem alteração da sua função.

Em que situações é indicado?

A rinoplastia é indicada para a correção de deformidades no nariz (internas e externas), decorrentes de diversas causas:

  • Funcionais e perturbadoras da respiração:

Desvio do septo nasal;
Colapsos das asas nasais (valva nasal) – como no lábio leporino e nos défices de suporte das cartilagens alares.

  • Estéticas:

Congénitas: malformações esqueléticas ou vasculares, presentes logo no nascimento;
De desenvolvimento: que se vão acentuando ao longo do crescimento (as mais frequentes);
Adquiridas: no caso de traumatismos ou pós cirúrgicas.

Sintomas

Quando as causas são funcionais, poderão surgir sintomas como:
Obstrução respiratória;
Ressonar;
Escorrências nasais;
Secura de boca e inflamações da garganta.

Diagnóstico

Para identificar eventuais problemas funcionais será necessário procurar um otorrinolaringologista, que fará o exame clínico, e poderá pedir a realização de meios auxiliares de diagnóstico, como RX ou TAC e estudo da função respiratória nasal.

Como se processa a intervenção?

Para realizar esta cirurgia o cirurgião pode recorrer a uma de duas técnicas: aberta ou fechada. A opção será tomada consoante a experiência do especialista e o caso em questão.

Para ajudar a remodelar o nariz poderão ser necessários enxertos de cartilagem colhidos:

  • No septo nasal;
  • Nos pavilhões auriculares (orelhas);
  • Ou na grade costal (costelas).

A rinoplastia nas crianças 

O especialista do Hospital Lusíadas Porto alerta que, nas crianças, a opção por uma rinoplastia é relativa a “uma situação particular que se realiza excecionalmente, e quase sempre para tratamento de grandes obstruções nasais e grandes traumas”. Acrescenta ainda que “as idades ideais a partir das quais se devem realizar rinoplastias serão o fim da adolescência e início da idade adulta”.

Peculiaridades do nariz negróide

Sendo um dos temas tratados no NOSE 2015, faz sentido referir as especificidades do nariz dos negros e dos mestiços (nariz negróide) que, “por serem largos, com pele e tecido de suporte muito laxo apresentam dificuldade na estruturação, pelo que têm regras de correção diferentes do caucasiano”, lembra o especialista.

Gerir expectativas

Consoante o objetivo, a rinoplastia produz alterações na aparência, estrutura e/ou função do nariz. Uma vez que cada caso é específico, não se pode esperar um resultado idêntico a todos os narizes. Esta intervenção cirúrgica não busca a perfeição, mas sim melhorar a aparência e otimizar a função respiratória. “O resultado excelente é aquele em que as pessoas, quando em face de alguém operado de rinoplastia questionam está mais bonita/o, diferente, mas não sei o que alterou”, refere o Coordenador da Unidade de Otorrinolaringologia do Hospital Lusíadas Porto.

LER MAIS