Diz-me como dormes…

Mudamos de posição várias vezes durante
 a noite mas todos temos uma posição preferida para dormir – e essa opção pode influenciar a qualidade do nosso sono. Saiba como.

A posição para dormir prejudica a saúde

A queixa é por demais frequente: “Tenho andado a dormir pessimamente.”. Mas nem só de stresse ou excesso de estímulos e cafeína se fala quando o problema é o cansaço e a sensação de falta de descanso noturno – a escolha da posição para dormir também pode ter influência. “Existem muitas causas para se dormir mal e para algumas a posição pode ser determinante”, confirma Susana Moreira, coordenadora da Unidade de Pneumologia e especialista em Medicina do Sono – uma área a que, no Hospital Lusíadas Lisboa, se dedica uma equipa multidisciplinar, que também envolve clínicos de Otorrinolaringologia, Neurologia, Medicina Interna e Estomatologia. Passar a noite de costas não é o mesmo que deitar-se de lado ou de barriga para baixo, mas cada uma das opções tem vantagens e desvantagens que se revelam diferentes para cada pessoa. Qual é a melhor posição para dormir? “Não existe uma resposta universal”, afirma a médica.

Deitado de lado

  • Prós

Facilita a respiração e diminui o ressonar.

  • Contras 

Dormir para o lado direito agrava o refluxo gastroesofágico; pessoas com insuficiência cardíaca devem evitar deitar-se para o lado esquerdo.

É a posição para dormir mais habitual, facilita a respiração, evita o ressonar (ou suaviza, pelo menos), mas não serve a todos. Colocar uma almofada entre os joelhos pode até ajudar a manter as ancas alinhadas, aliviando a pressão na coluna, mas dormir virado de lado interfere com outros problemas de saúde e é sobretudo importante saber que é relevante o lado que se escolhe. “Em pessoas com refluxo gastroesofágico, dormir em decúbito lateral direito agrava o refluxo porque aumenta o relaxamento do esfíncter gastroesofágico e facilita a passagem do conteúdo alimentar e do ácido gástrico do estômago para o esófago”, explica a coordenadora da Unidade de Pneumologia do Hospital Lusíadas Lisboa.
Nestes casos, é benéfico dormir para o lado esquerdo. Já as pessoas com insuficiência cardíaca, por exemplo, dormem melhor viradas para o lado inverso. A ciência descobriu que a sensação de incómodo que há muito estas pessoas referiam como justificação para preferir dormir sobre o lado direito tem uma fundamentação clínica. “Ocorrem, de facto, alterações do funcionamento cardíaco e hemodinâmica nestas pessoas com decúbito lateral esquerdo durante o sono”, confirma Susana Moreira.

Deitado de costas

  • Prós

Permite o alinhamento da coluna, aliviando a tensão na cervical e as dores nas costas.

  • Contras 

Dificulta a respiração, aumenta o ressonar e o risco de apneia do sono.

Deitado de barriga para cima, com a cabeça e os ombros ligeiramente elevados, o corpo fica numa posição neutra, de relaxamento. A posição de decúbito dorsal, o termo médico que designa a posição em que a pessoa está deitada de barriga para cima, favorece um bom posicionamento da coluna, sendo por isso “uma opção de conforto para várias alterações osteoarticulares”, explica Susana Moreira, especialista em Medicina do Sono e coordenadora da Unidade de Pneumologia do Hospital Lusíadas Lisboa.
O alívio da tensão na zona do pescoço e cabeça ajuda a atenuar as dores na área cervical e/ou lombar (podendo ser aconselhada a colocação de uma almofada por baixo dos joelhos para melhores resultados). Em termos respiratórios, no entanto, esta é a posição para dormir com maiores riscos, que agrava o ressonar e aumenta o perigo de apneia do sono, lembra a médica. Isto acontece porque “é uma posição de maior fragilidade anatómica, que deixa a via aérea em desvantagem em relação ao efeito da gravidade”, propiciando o estreitamento. “Como a via aérea superior tem apenas uma estrutura óssea de sustentação posterior (na coluna), o relaxamento muscular próprio do sono diminui naturalmente o seu diâmetro”, explica Susana Moreira. O movimento do diafragma contra o volume abdominal, em especial nas pessoas obesas, também é dificultado. “Nos doentes com diagnóstico de apneia, o número de apneias duplica quando estão em decúbito dorsal”, acrescenta. Na gravidez, à medida que a gestação progride, o peso do útero nos vasos abdominais ganha importância e dormir de costas também não é recomendado.

Virado para baixo

  • Prós

Não interfere com a respiração.

  • Contras

Favorece o desalinhamento da coluna e aumenta a tensão na zona do pescoço.

O que está em causa é sobretudo o desconforto. Para a maioria das pessoas, dormir na posição de decúbito ventral, de barriga para baixo, é desagradável e muitas vezes causa dores na zona cervical ou sensação de dormência na zona do pescoço. “É uma posição incomodativa mas sem riscos significativos”, resume a especialista em Medicina do Sono. A via aérea não fica comprometida e também não existe perturbação da circulação – “a dormência ocorre por compressão de nervos periféricos”, explica Susana Moreira.

 

Este é um dos artigos que pode ler na Revista Lusíadas nº11