Pôr pepino nos olhos ajuda as olheiras a desaparecer?

É um truque caseiro usado desde sempre para combater aquelas manchas escuras que se instalam na pálpebra inferior. Mas será que resulta mesmo?

Pôr pepino nos olhos ajuda a que as olheiras desapareçam?

As olheiras podem ser sinal de várias coisas: noites mal dormidas, retenção hídrica, deslocamento da gordura da pálpebra com a idade, depósito de hemossiderina (pigmento acastanhado), efeito Tyndall (tonalidade azulada que pode surgir após um tratamento estético de preenchimento com ácido hialurónico naquela zona) ou geneticamente determinado.

A receita caseira é conhecida e usada por muitos: duas rodelas de pepino sobre as pálpebras por um certo período de tempo. E, se a mezinha da avó é muitas vezes mito, neste caso, é mesmo verdade.

Primeiro, o pepino é rico em água, assegurando, assim, uma hidratação natural à pele. Tem ainda um efeito descongestionante para a área dos olhos, reduzindo o inchaço, ainda que não elimine na totalidade as olheiras.
Depois, é rico em vários tipos de vitaminas, entre elas a vitamina A, que age como hidratante, a vitamina E, que ajuda na formação de colagénio e de elastina, — importantes para manter a pele saudável e firme — e a vitamina K, que é necessária à coagulação do sangue.

Um dos componentes do pepino é também o silício, que tem a capacidade de fortalecer os tecidos conetivos do corpo, ou seja, os músculos, os ligamentos, os tendões, as cartilagens, os ossos, além de ajudar a manter uma pele saudável. O pepino é também rico em potássio, garantindo, por isso, a flexibilidade dos músculos e a elasticidade das células da pele. Por último, ao ser usado frio, o pepino promove a contração dos vasos sanguíneos das pálpebras, diminuindo, assim, o inchaço das pálpebras.

 

Em suma, pôr rodelas de pepino nos olhos acalma, hidrata e melhora a tonicidade da pele das pálpebras, tornando-se, por isso, uma poderosa receita na redução das olheiras.

 

Validação científica:
Ana Barata Feio, médica dermatologista do Hospital Lusíadas Lisboa e da Clínica de Stº António

Especialidades em foco neste artigo:
Dermatologia