O que deve saber antes de engravidar

Para ter uma gravidez tranquila e saudável há uma série de cuidados que pode ter ainda antes de engravidar. Saiba quais.

Há muitos fatores que interferem na saúde da futura mãe e do bebé e que implicam uma vigilância regular. Ao preparar-se para engravidar visite primeiro o seu médico.

Uma preparação adequada ajuda a futura mãe a viver a gravidez com confiança. Com os conselhos de Joaquim Gonçalves, Coordenador da Unidade Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Lusíadas Porto, saiba o que deve ter em conta e os hábitos que deve adotar ou alterar se está a pensar engravidar.

Idealmente, marcar uma consulta de ginecologia/obstetrícia é a melhor forma de planear uma gravidez. A  consulta pré-conceção é essencial. O médico vai considerar todos os fatores que devem estar presentes para uma gravidez saudável. Esta consulta é o momento certo para informar o especialista sobre eventuais antecedentes familiares de síndrome de Down, doenças musculares hereditárias, malformações do coração, entre outras patologias.

O médico vai, igualmente, solicitar que a mulher inicie a suplementação de ácido fólico e realize uma bateria de testes e análises que permitam a despistagem de várias doenças, como a hepatite B, rubéola, toxoplasmose, doenças sexualmente transmissíveis, entre outras. Também a existência de doenças da tiroide, diabetes, artrite reumatóide, doenças renais ou problemas de coração devem ser reportadas ao médico antes de engravidar.

É importante que a mulher tenha em conta que se tiver 35 ou mais anos e, particularmente, se se tratar de uma primeira gravidez, poderão vir a ser recomendados alguns testes de diagnóstico pré-natal.

Mas existem outros fatores que interferem na saúde da futura mãe e bebé e que implicam uma vigilância regular, assim como medidas que devem ser implementadas no dia a dia, ainda antes da conceção.

Saiba mais
Náuseas e aumento da tensão mamária são dois dos primeiros sintomas de gravidez. Sabe quais são os outros?


…………

11 coisas que deve saber antes de engravidar

…………

1.

O peso excessivo e, no extremo oposto, a magreza extrema, interferem na busca por uma gravidez saudável e, até, na facilidade em engravidar.

2.

Além de todos os malefícios conhecidos do tabagismo, está comprovado que fumar pode afetar a saúde do bebé.

3.

É fundamental para obter/manter um peso adequado e ajuda a mulher a manter-se saudável, com todos os nutrientes de que necessita, e com energia.

4.

Da mesma forma que o tabagismo pode causar problemas ao bebé, as drogas e as bebidas alcoólicas também.

5.

Na consulta médica, o médico deve ser informado de todos os fármacos que a mulher toma habitualmente. Poderá ser necessária ajustar ou suprimir a toma de fármacos que possam ser nocivos para a saúde do bebé se a mulher engravidar.

6.

Beber muito café e/ou bebidas com cafeína é desaconselhado na gravidez e antes de engravidar é a altura certa para reduzir o consumo de cafeína.

7.

É importante que a mulher vigie regularmente os valores de tensão arterial, para garantir que estes se mantêm estáveis. A hipertensão arterial durante a gravidez, caso não seja tratada adequadamente, pode conduzir ao desenvolvimento de pré-eclâmpsia, uma complicação que pode originar um parto pré-termo.

8.

É importante estar em forma – antes, durante e após a gravidez. Aconselhe-se com o médico quanto às modalidades mais adequadas, a periodicidade/intensidade e os cuidados que deve ter.

9.

Ter hábitos saudáveis de higiene oral e consultar o dentista é muito importante. A gravidez aumenta o risco de doença das gengivas, problema este que pode aumentar as probabilidades de o parto ter de ser realizado mais cedo do que o previsto.

10.

Tentar engravidar pode gerar stresse. Ter uma rotina profissional e uma vida familiar tranquilas é essencial para que esta seja uma etapa feliz e não um gatilho para a ansiedade.

11.

Se, após 12 meses de tentativas, não conseguir engravidar, não desespere. Deve procurar ajuda médica, já que podem existir causas/problemas (femininos e/ou masculinos) que interferem na conceção. Hoje em dia existem soluções de Procriação Medicamente Assistida (PMA) que ajudam a concretizar o sonho dos pais.

Colaboração:
Joaquim Gonçalves, coordenador da Unidade Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Lusíadas Porto

Especialidades em foco neste artigo:
Ginecologia e Obstetrícia
Procriação Medicamente Assistida