Mau hálito: como prevenir e tratar

A halitose pode ser muito constrangedora mas é muito comum e pode ser tratada.

Mau hálito: como prevenir e tratar

A halitose, ou mau hálito crónico, é uma situação em que  a pessoa exala um odor desagradável da boca, cheiro persistente que não desaparece depois de se escovar os dentes, passar o fio dentário e enxaguar. Como explica José Carlos Pinto Correia, coordenador da Unidade de Estomatologia do Hospital Lusíadas Lisboa, “trata-se de uma situação embaraçosa  e constrangedora, tanto que muitas pessoas relutam até em mencioná-la ao médico.”
De acordo com o médico estomatologista, a halitose é um problema muito frequente. No entanto, ao contrário daquilo que se pensa, o mau hálito é passível de ser tratado se for feita uma boa higiene oral.

As causas do mau hálito

Aproximadamente 85% das causas do mau hálito são provocadas por bactérias de origem oral: cáries, problemas de gengiva, não limpar a língua, restaurações, dentes fraturados, próteses dentárias que não são bem limpas.
Mas existem também outros fatores que podem provocar a halitose. A alimentação é um deles, destacando-se as dietas com alto teor de proteínas e baixo teor de hidratos de carbono, alimentos ácidos, doces, cebola, alho e outros temperos fortes, assim como o consumo excessivo de café, bebidas alcoólicas e o tabagismo.
Como refere José Carlos Pinto Correia, “embora raras, as doenças de pulmão e infeção nas amígdalas também são identificadas como causadoras de halitose. Problemas no sangue e nos rins são outras possibilidades.” O refluxo gastroesofágico e a sinusite comum podem igualmente afetar o hálito, alerta ainda o coordenador da Unidade de Estomatologia do Hospital Lusíadas Lisboa.

Diagnóstico e tratamento do mau hálito

O diagnóstico é feito através de um criterioso exame clínico em que todos os possíveis fatores envolvidos na origem do mau hálito são analisados. Após o questionário, é feito um exame da boca e a análise da saliva (sialometria).
O tratamento da halitose passa por adotar uma higiene oral criteriosa. Siga os conselhos de José Carlos Pinto Correia:

1.
Escove bem os dentes, durante pelo menos dois minutos, duas vezes ao dia ou, se puder, sempre que ingerir algum alimento. Deve utilizar uma escova mais macia e exercer uma pressão moderada sobre os dentes e gengiva;

2.
Passe, com delicadeza, o fio dentário e o escovilhão  em todos os dentes;

3.
Higienize a língua com um limpador, três vezes por dia, exercendo uma leve pressão;

4.
Utilize um elixir oral sem álcool para combater o mau hálito;

5.
Mastigue pastilhas elásticas sem açúcar para fomentar a produção de saliva;

6.
Beba muita água, de forma fracionada, ao longo do dia;

7.
Limite o consumo de bebidas alcoólicas e de tabaco.

Colaboração:
José Carlos Pinto Correia, coordenador da Unidade de Estomatologia do Hospital Lusíadas Lisboa

Especialidades em foco neste artigo:
Estomatologia