Como lidar com a incontinência urinária de esforço

Entre 10 a 20% das mulheres sofre de incontinência urinária de esforço, no entanto a maioria desconhece que há tratamentos simples e eficazes que resolvem o problema. Conheça as causas e previna as consequências.

Cerca de 10 a 20% das mulheres sofre de incontinência urinária de esforço (IUE) e a maioria desconhece que há tratamentos simples e eficazes que resolvem o problema.

Tossir, espirrar, rir, exercitar ou pegar em pesos são razão suficiente para provocar a perda involuntária de urina. A esta ocorrência dá-se o nome de incontinência urinária de esforço (IUE).
Por norma, a bexiga precisa ser esvaziada cerca de 4 a 8 vezes por dia, e ainda uma a duas vezes durante a noite. É a musculatura do pavimento pélvico – que sustenta a uretra e a bexiga – que se contrai durante o esforço de forma a prevenir a perda urinária. O enfraquecimento ou lesões nesta estrutura de suporte podem levar à incontinência urinária de esforço.

Causas da incontinência urinária

Gravidez;
Parto vaginal;
Obesidade;
Tosse crónica;
Carregar pesos;
Obstipação;
Menopausa;
Fatores genéticos.

Diagnóstico

O médico vai fazer perguntas sobre as atividades que levam à perda urinária. Tossir com a bexiga confortavelmente cheia ou analisar um diário miccional previamente pedido (onde anota a quantidade de líquido que ingere, o número de vezes e a quantidade que urina) podem ser solicitados na consulta. Ao mesmo tempo, o médico pode também pedir alguns exames para conseguir indicar o melhor tratamento para cada caso. Tais como:
Estudo urodinâmico;
Ecografia;
Exame à urina.

Tratamento da incontinência urinária de esforço

  • Fisioterapia do pavimento pélvico

Ajuda a aliviar os sintomas e traz inúmeros benefícios quando é praticada regularmente. Exercícios de treino vesical são aconselhados nos casos de incontinência urinária de urgência.

  • Cirurgia

Atualmente, o tratamento mais comum envolve o uso de um “sling”. Trata-se de uma fita permanente colocada abaixo da porção média da uretra que atua promovendo o seu suporte e impedindo a perda de urina por esforço.
A alteração de hábitos de vida pode ajudar a diminuir os fatores de risco e evitar situações mais graves:
Beba a quantidade de líquido suficiente para urinar entre 4 a 6 vezes por dia (geralmente 1,5 a 2 litros);
Mantenha um peso saudável;
Evite a obstipação;
Evite fumar.

Especialidades em foco neste artigo:
Urologia