Estratégias para minimizar a azia na gravidez

4 minutos de leitura

Está presente em todos os trimestres da gravidez, mas parece ser mais comum à medida que a gestação avança. Elsa Milheiras, ginecologista obstetra da Clínica de Stº António, explica o que causa a azia na gravidez e como minimizar os seus efeitos.

Causas da azia na gravidez

Refluxo gastroesofágicoA pirose ou azia na gravidez não é mais do que um sintoma causado pelo refluxo para o esófago do conteúdo ácido do estômago.

Por ação da hormona progesterona – cujos níveis vão aumentado ao longo da gravidez -, a motilidade gastroesofágica, intestinal, da vesícula e a tonicidade dos esfíncteres (incluindo o esfíncter gastroesofágico) estão diminuídos durante a gestação, razão pela qual o ácido gástrico reflui com mais facilidade do que na ausência de gravidez.

Além da azia, os sintomas associados ao refluxo gastroesofágico são a dor no estômago ou no peito, náuseas e vómitos, alteração da voz, dor de garganta ou mesmo tosse.

Em que altura da gravidez é mais comum aparecer a sensação de azia?

A azia aparece em todos os trimestres embora pareça tornar-se mais comum à medida que a gestação avança. Há estudos que referem percentagens de 22% no primeiro trimestre, 39% no segundo trimestre e 60-72% no terceiro. O aumento progressivo dos níveis de progesterona, a par do incremento do volume do útero com consequente acréscimo da pressão intra-abdominal, pode justificar estes dados.

Níveis de progesterona ao longo da vida da mulher

Como evitar a azia na gravidez?

As grávidas podem modificar o estilo de vida e a dieta.

As alterações no estilo de vida podem incluir:

  • Evitar deitar-se nas primeiras três horas após as refeições;
  • Evitar usar roupas muito apertadas (para não aumentar a pressão intra-abdominal);
  • Elevar a cabeceira da cama cerca de 15 a 20 cm ou usar mais ou maiores almofadas que permitam elevação equivalente.

Já a alteração da dieta deve ser feita no sentido de evitar os alimentos com maiores probabilidades de desencadearem azia, tais como café, chá, chocolate, bebidas com gás, citrinos, tomate, menta e alimentos muito gordurosos ou picantes.

Resta acrescentar os benefícios de não aumentar excessivamente de peso e de não consumir álcool e tabaco.

Quando consultar um médico

Esófago de BarretA azia na gravidez deve ser comunicada ao médico assistente (médico de família ou obstetra que siga a gravidez) sempre que as medidas dietéticas e de alteração de estilo de vidanão sejam suficientes para debelar o sintoma. Nesses casos, o seu médico poderá receitar a medicação que considera mais adequada.

A referenciação para um gastrenterologista com eventual realização de endoscopia faz-se apenas em casosmuito extremos, resistentes a todas as terapêuticas e com sangramento associado (por exemplo,hemorragia gastrointestinal no Esófago de Barrett).

 

LER MAIS