Preparação pré-natal: ácido fólico é obrigatório

2 minutos de leitura

O ácido fólico é uma vitamina que existe em alguns alimentos, como os legumes de folha verde, mas mesmo uma alimentação rica e variada não fornece a quantidade ideal durante a gravidez. É fundamental assegurar a dose diária recomendada ao longo da gestação, para ajudar a prevenir algumas malformações do feto, como alerta a obstetra Andreia Rodrigues, do Hospital Lusíadas Lisboa.

O que é o ácido fólico?

O ácido fólico trata-se de uma vitamina do complexo B, a vitamina B9. Existe em alguns alimentos, como a carne, o peixe gordo, a gema, a cenoura, o feijão, as lentilhas, os legumes de folha verde (tais como, espinafres, brócolos, entre outros legumes).

Dose diária recomendada às grávidas

Um comprimido de ácido fólico por dia, de qualquer das marcas vendidas em Portugal, assegura a dose mínima necessária. Pode haver mulheres a quem seja prescrita uma dose mais elevada, no caso de terem tido uma gravidez anterior em que ocorreram malformações.

Por que razão as grávidas devem tomar?

O ácido fólico contribui para o processo de divisão celular, nomeadamente do tubo neural — vai dar origem ao sistema nervoso central (cérebro e espinal medula), assim como para a formação do sangue.
Assim, tomar ácido fólico ajuda a prevenir riscos de malformações neurológicas do feto, como, por exemplo, espinha bífida, malformação da coluna vertebral que vai provocar danos ao nível do sistema nervoso central.

Quando se deve tomar?

Qualquer mulher deve começar a tomar logo que deixa de tomar anticoncecionais, com a intenção de engravidar, uma vez que só saberá que está grávida duas a três semanas depois da fecundação. Assim, consegue assegurar que, mesmo durante a fase inicial da gravidez, o seu organismo tem a dose suficiente.

Depois do parto, faz sentido continuar a tomar ácido fólico ainda que com outro objetivo: ajudar a prevenir a queda de cabelo que normalmente ocorre no terceiro/quarto mês depois do parto.

LER MAIS