Formas de lidar com a dor crónica

O melhor conselho que se pode dar a quem sofre de dor crónica é que procure ajuda médica, defende José Caseiro, coordenador da Unidade da Dor do Hospital Lusíadas Lisboa. A dor crónica é uma doença em si mesma, como tal, é necessário definir o tratamento adequado a cada pessoa, em função dos seus sintomas, melhorando a sua qualidade de vida.

Como lidar com a dor crónica?

O que é a dor?

De acordo com a Associação Internacional para o Estudo da Dor, trata-se de uma experiência sensorial e emocional desagradável, que é associada a uma lesão concreta ou potencial dos tecidos, ou é descrita em função dessa lesão.

  • Dor aguda

A dor aguda é antes de mais um sinal de alarme, um aviso de que algo não está bem, tendo por isso um valor biológico protetor. É o caso da dor pós-cirúrgica ou da que sentimos, por exemplo, quando nos queimamos no fogão, ou batemos com força num móvel. Também é um sintoma importante para o diagnóstico de várias doenças, sendo uma das principais razões que nos motivam a procurar o médico.

  • Dor crónica

Dor persistente ou recorrente, sem relação temporal com a sua causa nem com duração mínima definida. Muitas vezes, não há qualquer lesão aparente que a justifique, envolvendo outros sintomas que contribuem para a sua complexidade e tornando menos provável a possibilidade de cura. Ao contrário da dor aguda, não tem qualquer utilidade. Os seus efeitos são sempre negativos, podendo por vezes ser devastadores, tanto pelo sofrimento do doente como pelas pessoas com quem se relaciona.

Consequências da dor crónica

Além do sofrimento causado, tem repercussões tanto na saúde física como na saúde mental. Pode levar a alterações do sistema imunitário, baixando as defesas do organismo. É frequente provocar cansaço, distúrbios do sono, perturbações do apetite, problemas intestinais, diminuição da libido, ansiedade e depressão. A dor crónica pode ser verdadeiramente incapacitante, condicionando a atividade profissional.

Doenças que provocam dor crónica

Há inúmeras circunstâncias que podem vir a resultar em dor crónica.
Tanto pode resultar, por exemplo, de grandes traumatismos, patologias da coluna vertebral, doenças infecciosas com evolução desfavorável (como a zona), como de alguns tipos de cancro.
A dor crónica também surge associada a outras doenças crónicas como algumas doenças articulares ou autoimunes, a fibromialgia, as polineuropatias, entre outras.
Em todas estas situações, uma vez instalada a dor crónica, esta passa a ser uma doença autónoma em relação ao processo inicial, não dependendo mais dele.

Conselhos para lidar com a dor crónica

O melhor conselho é procurar ajuda médica. À semelhança das outras doenças crónicas, a dor crónica não tem cura mas pode e deve ser tratada.
Atualmente há diversos tratamentos disponíveis que permitem melhorar muito a qualidade de vida das pessoas, ajudando a controlar a dor.
As Unidades de Tratamento da Dor oferecem soluções de tratamento a quem sofre de dor crónica, com apoio psicológico e capacidades terapêuticas adequadas a cada doente.

Colaboração:

José Caseiro, coordenador da Unidade da Dor do Hospital Lusíadas Lisboa

Especialidades em foco neste artigo:

Tratamento da Dor