Factos e Mitos sobre a voz

O chá de romã é bom para a rouquidão? Devemos sussurrar para poupar a voz? Lina Marques de Almeida, terapeuta da fala do Hospital Lusíadas Lisboa, ajuda-o a distinguir os factos dos mitos que existem sobre a voz.

Factos e mitos sobre a voz

As pregas vocais (cordas vocais) localizam-se na laringe, onde a voz é produzida. Quando falamos, as pregas vocais fazem um movimento de vibração devido à passagem do ar que vem dos pulmões quando expiramos. O som produzido vai ser ampliado e modificado pelas cavidades de ressonância e pelos órgãos de articulação que trabalham em conjunto para a produção de vogais e consoantes.

Cuidar da voz e preservar as pregas vocais é essencial para uma boa saúde vocal, mas nem todos os conselhos ou ideias que temos estão corretas. Para o ajudar, Lina Marques de Almeida, terapeuta da fala do Hospital Lusíadas Lisboa, aponta vários mitos e factos sobre a voz.

Mitos 

1 – É normal uma criança ser rouca
Não. Rouquidão ou disfonia é um sinal de alterações na voz e se for muito frequente e até mesmo persistente, por mais de 15 dias, é preciso consultar um otorrinolaringologista e um terapeuta da fala para ser avaliada.

2 – Pigarrear limpa a garganta
Mito. Pigarrear (arranhar a garganta) não tira as secreções da garganta e pode sim agredir as pregas vocais devido ao atrito excessivo entre elas. Quando frequente, por necessidade ou por hábito, o ato de pigarrear pode causar rouquidão e até mesmo favorecer o surgimento de lesões nas pregas vocais.

3 – Sussurrar ajuda a poupar a voz
Mito. Sussurrar às vezes é pior do que gritar. Para sussurrar é preciso fazer força durante a vibração das pregas vocais, o que pode ser prejudicial. Assim, se precisar de poupar a sua voz, fale baixo e evite sussurrar.

4 – Chá de romã é ótimo para tratar a rouquidão
Não existe evidência científica referente à eficácia do chá de romã. Se a rouquidão persistir é importante procurar um médico otorrinolaringologista e um terapeuta da fala para avaliar e verificar se existem hábitos inadequados que possam estar a contribuir para a rouquidão.

5 – Deve-se usar sprays, pastilhas ou rebuçados de mentol, mel ou hortelã e gengibre para manter a voz saudável
Esses recursos possuem, na maioria das vezes, um efeito anestésico que normalmente mascara o desconforto na garganta dando uma sensação momentânea de falsa melhoria e ainda podem levar a um maior abuso vocal. Alguns produtos podem ser irritativos, prejudicando ainda mais as pregas vocais, além de alterarem a viscosidade e a quantidade de saliva na boca.

Factos sobre a voz

1 – A postura corporal interfere com a voz
Sim. O modo como fazemos uso do nosso corpo tem impacto na qualidade vocal. Uma postura incorreta pode dificultar a respiração e gerar tensão na laringe, comprometendo a qualidade vocal. Por isso, sempre que possível, mantenha o corpo direito, com a cabeça em posição neutra (nem para cima nem para baixo) e com movimentos naturalmente livres.

2 – Comer uma maçã ajuda a voz
Verdade. A maçã é rica em pectina, substância que fornece a ação adstringente e auxilia na “limpeza” da boca e faringe, diminuindo o excesso de secreções e favorecendo uma melhor ressonância. Além disso, comer uma maçã é um excelente exercício para os músculos da boca, que são os responsáveis pela articulação dos sons. Mas comer uma maçã, por si só, não é um tratamento para a voz e para a rouquidão.

3 – Dormir pouco prejudica a voz
Sim. Existe uma relação entre a qualidade vocal e o sono. A falta de descanso pode deixar a voz mais grave.

4 – O café pode prejudicar a voz
Quando tomado em excesso, sim. Além de ser desidratante, pode favorecer o refluxo gastroesofágico (azia) e prejudicar a qualidade vocal. Curiosamente, o café descafeinado é ainda mais desidratante, devendo assim ser acompanhado de água. Evite excessos!

5 – A idade modifica a voz
Verdade. Nas mulheres, as alterações hormonais durante o período da menopausa fazem com que a voz fique mais grave e nos homens, no período da terceira idade, há um aumento da frequência que leva a voz a ficar mais aguda. Para além destes fatores, a redução da capacidade respiratória, atrofia muscular e a diminuição da saliva e da mobilidade da laríngea – envelhecimento biológico – são indicativos de Presbifonia, levando a alterações da qualidade vocal.

6 – Gelados e bebidas muito frias fazem mal
Verdade. A diferença brusca de temperatura causada pelo alimento ou bebida no interior do corpo leva à vasoconstrição da região laríngea e faríngea originando alterações da qualidade vocal. Antes de engolir é aconselhável manter a comida/bebida durante alguns segundos na boca e só depois engolir.

7 – Beber água faz bem à voz
Verdade. A hidratação é fundamental para manter uma boa qualidade vocal. O ideal é ingerir uma média de dois litros de água por dia e deverá, ainda, bebericar água durante a sua atividade profissional. Prefira sempre bebidas à temperatura ambiente.

8 – Fumar faz mal à voz
Verdade. O tabagismo é altamente nocivo para as pregas vocais. As substâncias químicas do tabaco agridem o trato respiratório, levando a irritação, tosse, edema e aumentam as secreções e infeções. O tabagismo é, ainda, a principal causa de cancro da laringe e pulmões.

Autoria:
Lina Marques de Almeida, terapeuta da fala da Unidade de Otorrinolaringologia do Hospital Lusíadas Lisboa

Especialidade em foco neste artigo:
Otorrinolaringologia (e Terapia da Fala)