Facto ou mito: estalar os dedos faz mal?

Recentemente descobriu-se a causa do som que é produzido quando alguém estala os dedos, um hábito que muitas pessoas dizem que faz mal à saúde das mãos.

Facto ou mito: estalar os dedos faz mal?

Estalar os dedos é um hábito de muitas pessoas, que puxam ou comprimem os dedos até se ouvir um “tlaque”. Este barulho, que pode fazer impressão a terceiros, está ligado a algo que acontece nas articulações, mas a sua origem foi discutida durante muito tempo. No entanto, é recorrente o aviso de que estalar os dedos é prejudicial para as articulações e os ossos. Mas será que a ciência comprova este receio?

Articulações e ossos

As articulações são as regiões que conectam os ossos entre si e que tornam o esqueleto funcional. Entre os ossos dos dedos existem as articulações sinoviais, um dos três tipos de articulações que temos, que contêm o líquido sinovial. Esta substância permite que os ossos dos dedos se movam um em relação ao outro sem se tocarem nem haver fricção entre eles. Desta forma, os ossos mantêm a estrutura dos dedos ao mesmo tempo que estão livres para se moverem. Esta é, no fundo, a função do esqueleto, que dá estrutura e mobilidade a todo o corpo, com a ajuda dos músculos, além de proteger órgãos como os pulmões, o coração e o cérebro.

Estalar os dedos: a origem de um som

As articulações dos dedos, dos joelhos, dos ombros, das costas e do pescoço podem estalar e fazer o tal “tlaque”. Desde a década de 1940 que cientistas fazem experiências para descobrir a origem daquele som. O que está em causa é o fenómeno da cavitação. Quando se puxa o dedo, a articulação separa-se por causa da força a que é submetida. Nesta separação há uma redução da pressão, os gases existentes no líquido sinovial deixam de estar dissolvidos no líquido e ajudam a formar uma bolha de ar entre os dois ossos. Este fenómeno é momentâneo. Logo de seguida, os ossos voltam a aproximar-se, a bolha de ar extingue-se e a articulação volta a fechar-se. Só passados cerca de 20 minutos é que é possível estalar-se de novo a mesma articulação.

Até há pouco tempo, dois estudos científicos explicavam que o som era produzido em momentos diferentes. Um definia que o som era produzido quando os ossos se separavam e a bolha se formava, outro defendia que o som era produzido quando a bolha de ar colapsava e a articulação se fechava. Mas em 2015, uma investigação feita por uma equipa da Universidade de Alberta, no Canadá, publicada na revista “PLOS One”, observou o fenómeno em tempo real usando imagens por ressonância magnética e confirmou que o som é produzido quando a articulação se separa e a bolha é formada.

Artrite, inflamação, falta de força?

Os cientistas sabem que o estalar frequente destas articulações torna-as mais soltas, podendo causar um bem-estar imediato a quem o faz. Vários estudos foram testar se este hábito tinha efeitos nefastos para a saúde das articulações, nomeadamente se provoca artrite. Mas os resultados destas investigações mostraram que o número de pessoas com artrite é equivalente entre as que estalam os dedos e as que não estalam.

Um desses estudos, feito em 1990 num hospital em Detroit, nos Estados Unidos, comparou uma população de pessoas que estalavam os dedos das mãos com outra que não estalava e confirmou a tese de que estalar os dedos não causa artrite. Por outro lado, o trabalho mostrou que as pessoas que costumavam estalar os dedos tinham, em média, as mãos mais inflamadas e menos força para agarrarem objetos. Mas investigações mais recentes não confirmaram estas consequências negativas de estalar os dedos.

Em suma

Tanto quanto se sabe, estalar os dedos não provoca artrite ou outros efeitos nas articulações.

 

Revisão Científica:
Rui Cardoso, médico ortopedista do Hospital Lusíadas Porto

Especialidades em foco neste artigo:
Ortopedia e Traumatologia