12 gestos para evitar o desperdício alimentar

Todos os anos, os portugueses deitam fora um milhão de toneladas de alimentos, mas há gestos pequenos que pode fazer para evitar esta realidade e reduzir o desperdício alimentar. Saiba como.

A melhor forma de combater o desperdício alimentar é aprender a cultivar e a comer o que semeia.

É uma dura realidade: estima-se que em Portugal, cerca de 360 mil pessoas passam fome. Mas o desperdício alimentar é a outra face da moeda: todos os anos, os portugueses deitam fora um milhão de toneladas de alimentos. Cabe a cada um de nós ajudar a contrariar esta realidade, com pequenos gestos diários, que podem marcar a diferença.

12 estratégias para evitar o desperdício alimentar:

1.

Planeie as refeições e elabore uma lista de compras antes de ir ao supermercado;

2.

Consulte o prazo de validade de todos os produtos, escolhendo os de prazo mais alargado;

3.

Comece por utilizar os hortícolas e as frutas mais maduras e só depois as mais verdes;

4.

Utilize a fruta amolecida para preparar batidos de fruta ou fruta cozida/assada;

5.

Reaproveite as sobras de batatas do dia anterior para fazer a base de uma sopa ou um puré de batata;

6. 

Utilize as sobras de peixe ou carne, para preparar uma salada ou um empadão;

7.

Aproveite sobras de hortícolas para confecionar uma sopa ou um esparregado – o que resultaria em desperdício alimentar, torna-se num delicioso manjar;

8.

Com o pão do dia anterior poderá fazer torradas para o pequeno-almoço ou lanche;

9.

Aproveite a água da cozedura dos legumes para sopas e/ou cozidos;

10.

Não deite fora as cascas de determinados hortícolas ou frutas (cebola, limão ou laranja), aproveite-as para fazer chá ou compotas;

11.

Cozinhe apenas as quantidades necessárias para o número de pessoas que irão consumir a refeição;

12.

Congele os alimentos confecionados que sobrarem ou coloque-os no frigorífico em recipientes apropriados.

Crie uma horta doméstica

Ao mesmo tempo, há ainda outra estratégia que pode seguir para reduzir a lista das compras e criar uma maior ligação com os alimentos que usa na cozinha: fazer uma horta doméstica. Assim, se tiver um pequeno quintal ou jardim, aproveite esse espaço para cultivar a sua horta. Caso contrário, uma varanda pode constituir uma boa opção, num ambiente de luz, propício ao desenvolvimento dos produtos hortícolas. Saiba como começar:

Reaproveite algumas embalagens (como garrafões, pacotes de leite, garrafas de sumo…) para criar vasos, decorando-os a gosto. Pinte ou forre os recipientes transparentes para que o sol não sobreaqueça a terra e queime as raízes!

O fundo do recipiente deve ter pequenos furos para escoar a água. Utilize pratos por baixo dos vasos para recuperar a água. Aproveite a água da chuva!

Escolha sementes e plantas saudáveis! Nas plantas observe por exemplo, se as folhas e os caules têm manchas ou insetos. Nas sementes, tenha em atenção se estão inteiras;

Pode plantar ervas aromáticas (salsa, coentros, tomilho, manjericão, orégãos, cebolinho…), alguns frutos (morangos, tomate…), legumes ou leguminosas (alface, cenoura, feijão, grão…) de acordo com as suas preferências, nunca esquecendo o clima e o local.

Vantagens 

  • Evitar o desperdício alimentar contribui para a economia familiar;
  • Proporciona alimentos biológicos e frescos, nutricionalmente ricos em vitaminas e minerais, a baixo custo;
  • Maior confiança nos produtos consumidos e possibilidade de controlo do uso de produtos químicos;
  • Constitui um momento recreativo e de lazer.

 

Não esquecer

Cada um de nós pode contribuir para uma agricultura mais sustentável e um mundo com menos desperdício alimentar e também menos fome. Pequenos gestos fazem a diferença, comece hoje.