Eczema: tudo o que precisa de saber

A doença de pele que atinge 10% das crianças é cada vez mais comum em Portugal. Conheça as causas e descubra como minimizar os sintomas.

Tudo o que deve saber sobre eczema

O que é?

O eczema, também denominado dermatite atópica, é uma reação inflamatória da pele, muitas vezes associada a outras doenças alérgicas, como a asma e a rinite. Pode atingir indivíduos de todas as idades, mas é mais frequente na infância. Em Portugal, estima-se que afete 10% das crianças, mas só 1 a 2% apresenta queixas graves. Na maior parte dos casos, a tendência é para que os sintomas desapareçam ou diminuam com o crescimento.

Como se manifesta?

Nos bebés e nas crianças aparece, sobretudo, no rosto, mas nos adultos surge normalmente nos cotovelos e joelhos. As principais características associadas ao eczema são:

  • Prurido;
  • Edema local (inchaço);
  • Erupção eritematosa (vermelhidão).

 

Na fase crónica observa-se:

  • Espessamento da pele (liquenificação);
  • Secura;
  • Descamação.

 

Na fase aguda pode haver:

  • Formação de vesículas (bolsas com líquido);
  • Exsudação (libertação de fluidos).

 

Causas

O eczema tem origens diversas. “Pode resultar de uma predisposição genética aliada a fatores desencadeantes e fatores de manutenção”, explica João Abel Amaro, dermatologista do Hospital Lusíadas Lisboa. Exemplos de agentes que podem desencadear a doença: poeiras, conservantes, produtos sintéticos ou ambientes muito secos.

Tipos de eczema

  • Eczema atópico ou dermite atópica

Tem origem numa predisposição genética. Pode ser desencadeado por fatores externos e psicossomáticos (stresse emocional, por exemplo);

  • Eczema de origem traumática ou irritativa

Causado por traumatismos físicos ou substâncias químicas;

  • Eczema de contacto alérgico

A pessoa desenvolve alergias a substâncias externas (metais, perfumes, conservantes, etc.).

Diagnóstico

É essencialmente clínico podendo, em caso de dúvida, ser confirmado por um exame da anatomia patológica. É comum os especialistas recorrerem a testes cutâneos para caracterizarem alergénios que agudizam o eczema.

Tratamento

O eczema evolui geralmente com períodos de agravamento, que alternam com períodos de remissão, mais ou menos prolongados. O tratamento consiste essencialmente na aplicação local de corticoides e na eliminação dos possíveis agentes que desencadeiam o eczema, nomeadamente os de origem ambiental e profissional. Apesar de ser uma doença sem cura, pode ser controlada com a ajuda de um dermatologista.

Recomendações

………..

Evite a exposição aos prováveis fatores que estão na origem da doença, quer sejam ambientais, domésticos ou profissionais. Recorra a medidas de proteção individual (luvas, por exemplo);

………..

Prefira vestuário de algodão para evitar transpiração em excesso (o prurido aumento com o suor);

………..

Lave todas as peças de roupa que comprar antes de as usar pela primeira vez;

………..

Evite ambientes com pó, que provocam irritação e secura na pele;

………..

Mantenha a pele hidratada. Se possível, use um emoliente (de preferência com ácidos gordos) e aplique logo após o banho para evitar a evaporação da água.

 

Colaboração:
João Abel Amaro, coordenador da Unidade de Dermatologia do Hospital Lusíadas Lisboa
Especialidade em foco neste artigo:
Dermatologia