Varicela ou sarampo?

6 minutos de leitura

Muitas doenças infectocontagiosas da infância são de caráter benigno, mas merecem atenção dado o risco de contágio e risco potencial de complicação. Duas das mais comuns são a varicela e o sarampo. Veja como pode distingui-las.

A varicela é altamente incidente e o sarampo potencialmente grave. Ocorrem normalmente na infância, mas podem atingir adultos. É importante saber fazer o diagnóstico para tratar de forma adequada.

Varicela: o que é?

Trata-se de uma doença infetocontagiosa, provocada pelo vírus varicela-zoster. Normalmente pouco grave, afeta centenas de crianças por ano, em Portugal. A varicela ocorre predominantemente na infância, em geral entre os 2 e os 8 anos, e raramente se manifesta em recém-nascidos.

Depois de curada a doença, o vírus varicela-zoster pode sobreviver de forma adormecida sem provocar qualquer sinal ou sintoma. Todavia, após um período de tempo mais ou menos prolongado – normalmente na idade adulta ou até na velhice – o vírus pode ser reativado uma ou mais vezes. Isso pode acontecer, por exemplo, devido a uma redução temporária das defesas.

Transmissão da varicela

  • Contacto direto com as lesões cutâneas;
  • Através de secreções respiratórias (tosse, espirro, saliva).

Sintomas

  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Perda de apetite.

Ao fim de um a três dias, estes sintomas intensificam-se e costumam aparecer as lesões na pele, caracterizadas por pequenas bolhas vermelhas que se transformam rapidamente em pequenas bolhas claras ovais tipo “gota-de-orvalho” com conteúdo. Passadas 24 horas, as bolhas rompem-se dando lugar a crostas.

Como tratar?

O tratamento da varicela é sintomático, sendo utilizados:

  • Antipiréticos para a febre;
  • Anti-histamínicos para o prurido intenso.

Em crianças com varicela não devem ser administrados anti-inflamatórios não esteroides (como o ibuprofeno), nem ácido acetilsalicílico (aspirina) ou derivados. No caso de se desenvolverem infeções bacterianas, podem ser necessários antibióticos e, em situações mais graves, medicamentos antivirais (Aciclovir).

Sequelas

  • Infeções bacterianas de pele;
  • Pneumonia;
  • (Raramente) Infeção do sistema nervoso, rins, coração, articulações e complicações hematológicas. Uma grave complicação, chamada Síndrome de Reye (degeneração aguda do fígado e grave infeção do sistema nervoso) também pode acontecer em crianças com varicela que usaram ácido acetilsalicílico (AAS e aspirina).

As vesículas (bolhas) podem deixar, por vezes, cicatrizes. É importante evitar, dentro do possível, que a criança se coce para evitar que as borbulhas infetem e o aparecimento de cicatrizes.

Varicela em adulto

A varicela é uma doença grave na idade adulta. Uma mulher grávida pode estar sujeita a um risco ainda mais elevado no que respeita ao aparecimento de complicações, devendo evitar a exposição à doença, devido ao risco que isso constitui para o feto. A varicela é também grave para quem se encontra com o sistema imunitário enfraquecido.

Sarampo: o que é?

Trata-se, tal como a varicela, de uma doença infetocontagiosa que afeta, principalmente, as crianças. O responsável por esta doença é um vírus denominado por Paramixovírus do Género Morbilivirus.

Em Portugal, assim como em praticamente todos os países da Europa, o sarampo é uma doença que se encontra erradicada, tendo uma taxa de vacinação de cerca de 95% das pessoas entre os 7 e os 18 anos de idade.

Surge ainda nos países em que a vacinação não é aplicada de forma regular, como acontece atualmente em muitas regiões subdesenvolvidas do mundo.

Transmissão do sarampo

  • Secreções respiratórias (nariz e boca);
  • Tosse, espirros, saliva e ar.

Sintomas

  • Febre;
  • Grande produção de catarro com tosse;
  • Dor de cabeça;
  • Mal-estar;
  • Perda de apetite;
  • Conjuntivite e fotofobia – durante cerca de 3 a 5 dias.

Posteriormente surgem as lesões na pele, constituídas de pequenas bolinhas vermelhas, em primeiro lugar atrás das orelhas, pescoço e face, estendendo-se a todo o corpo em três dias. No final da primeira semana ocorre uma descamação fina de toda a pele. Também surgem manchas brancas circundadas por rubor, na língua e parte interna das bochechas, que desaparecem em 24 a 48 horas.

Como tratar?

O tratamento é, tal como na varicela, sintomático. Assim, o doente deve permanecer em repouso, beber bastantes líquidos, comer alimentos leves e limpar os olhos com água morna. Normalmente, o paracetamol é utilizado como antipirético.

Sequelas

Ocorrem sobretudo em crianças com má nutrição, pessoas com imunodeficiência comprometida e também nos bebés não vacinados. Estas complicações são, na maioria dos casos, provocadas pelo facto de o próprio problema reduzir a capacidade defensiva do organismo, o que facilita a invasão de outros órgãos e tecidos por parte do mesmo vírus ou de outros microrganismos.

  • Encefalite

É a complicação mais grave, que se manifesta através de um aumento da febre, de vómitos e convulsões, podendo originar paralisia e lesões neurológicas permanentes.

  • Pneumonia

Pode ser causada pelo próprio vírus do sarampo ou por vários tipos de bactérias.

Sarampo na idade adulta

Pode afetar os sistemas nervoso e respiratório, causando alterações neurológicas e psicológicas e broncopneumonia, principalmente quando a pessoa infetada está subnutrida e com baixas defesas imunológicas.

LER MAIS