Dispneia: causas para a falta de ar

5 minutos de leitura

A dispneia ou falta de ar é um sintoma que pode ter origem em condições médicas muito variadas. Importa, antes de mais, perceber se a dificuldade em respirar surge de forma súbita ou lenta, como explica Daniel Coutinho, pneumologista da Clínica Lusíadas Gaia.

O que é a dispneia?

A dispneia pode ser definida como sensação de dificuldade para respirar e é mais vulgarmente conhecida como “falta de ar”.
A maneira como as pessoas sentem e descrevem a dispneia varia muito. Algumas podem dizer que não conseguem fazer uma inspiração profunda; outras que sentem um aperto no peito ou que têm de fazer um esforço maior para respirar do que o habitual.
A dispneia pode começar de forma súbita, em minutos ou horas, mas também se pode instalar ao longo de períodos de tempo maiores, semanas ou meses.
Outros sintomas, como tosse ou dor torácica, podem estar associados a dispneia, dependendo da sua causa.

Causas mais comuns de dispneia

Diferentes condições médicas podem causar dispneia.

Causas mais comuns de dispneia súbita:

  • Doenças pulmonares

Tais como infeções, asma agudizada ou embolismo venoso pulmonar (estas doenças também podem causar outros sintomas. Por exemplo, uma infeção pulmonar é habitualmente acompanhada de febre e tosse);

  • Doenças cardíacas

Como enfarte cardíaco ou insuficiência cardíaca descompensada (pode ser acompanhada também de dor torácica súbita);

  • Reação alérgica grave

Também conhecida como anafilaxia. Pode ocorrer em pessoas com alergias conhecidas ou asma e ser causada por substâncias como medicamentos, alimentos ou picadas de inseto. Além da dificuldade respiratória, a anafilaxia pode causar mal-estar generalizado, perda de consciência e, inclusivamente, provocar a morte.

As causas mais comuns de dispneia de instalação lenta são:

  • Doenças pulmonares

Como a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) ou asma (ambas podem fazer com que o esforço de respirar seja mais difícil, sendo que a DPOC habitualmente está associada ao consumo de tabaco);

  • Doenças cardíacas

Como insuficiência cardíaca ou alterações do tamanho/forma do coração, também conhecidas como cardiopatias;

  • Excesso de peso ou má condição física.

Quando consultar um médico

Deverá dirigir-se ao hospital imediatamente se sentir:
Dispneia em repouso;
Dor torácica;
Palpitações;
Redução do nível de consciência;
Agitação ou confusão.

Nos restantes casos, deve procurar um médico para esclarecimento da sua dispneia. Este vai decidir sobre a necessidade e a urgência de estudo adicional consoante os sintomas, os antecedentes e outros fatores. Geralmente a consulta médica pode aguardar dias a semanas.

Exames

Para auxiliar na determinação da gravidade do problema, realiza-se a medição de níveis de oxigénio no sangue por um sensor colocado num dedo (oximetria de pulso). A radiografia torácica também é normalmente realizada.

Exames para avaliar o funcionamento dos pulmões (exame funcional pulmonar) são feitos quando o exame médico sugere um distúrbio pulmonar incapaz de ser diagnosticado pela radiografia torácica. Os testes de função pulmonar medem o grau de restrição ou de obstrução pulmonar e a sua capacidade de conduzir oxigénio para o sangue.

Em pessoas com risco de embolia pulmonar são realizados exames de diagnóstico especializados, como a determinação de D-dímeros ou angiografia por tomografia computadorizada, dependendo do risco probabilístico de embolia.

Outros exames podem ser necessários para diagnosticar e melhor avaliar problemas cardíacos e certos problemas pulmonares específicos.

LER MAIS