Coronavírus: as informações essenciais

5 minutos de leitura

Em dezembro de 2019 foi identificado pela primeira vez o novo coronavírus. Tome nota das recomendações da Direção-Geral da Saúde, do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e da Organização Mundial da Saúde.

Que vírus é este

Os coronavírus são uma família de vírus com capacidade de causar doença no ser humano. A família Coronaviridae inclui o vírus da constipação comum, mas também o da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, uma forma de pneumonia atípica) e o da Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS). Agora este novo vírus foi detetado a partir de vários casos de pneumonia na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China, tendo sido dada a designação oficial de SARS-CoV-2. À doença causada por este vírus dá-se o nome de Covid-19.

Sinais e sintomas

Febre, tosse seca e dificuldade respiratória são os principais sinais e sintomas de infeção, que, em casos mais graves, pode apresentar-se como pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e disfunção de outros órgãos, podendo conduzir à morte.

Como se transmite

A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada, mas não se conhecem mais pormenores. Ainda está em investigação a via de transmissão. Ainda não há conclusões definitivas sobre as características da doença, a intensidade da transmissão humano a humano ou a fonte original do surto. Segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças norte-americano (CDC), o tempo de incubação do vírus pode durar entre 2 a 14 dias.

Vacina e tratamento

O tratamento para a infeção pelo novo coronavírus é dirigido aos sinais e sintomas apresentados. Sendo um novo vírus, ainda não existe vacina, estando em curso as investigações para o seu desenvolvimento.

Zonas de risco

O novo coronavírus causou um surto na cidade de Wuhan, na China, sendo a fonte da infeção ainda desconhecida.

Medidas de proteção

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda as seguintes medidas:

  • Evitar o contacto próximo com doentes com infeções respiratórias;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes;
  • Evitar contacto desprotegido com animais selvagens ou de quinta;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir.
  • Ao visitar mercados em áreas com casos de coronavírus, evitar o contacto direto e desprotegido com animais vivos e superfícies em contacto com animais;
  • Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozinhados. Carne crua, leite ou órgãos de animais devem ser manuseados com cuidado para evitar a contaminação cruzada com alimentos mal cozinhados e por questões de segurança alimentar.

Além destas medidas, poderá esclarecer as dúvidas frequentes no site da Direção-Geral da Saúde.

Cuidados dos viajantes

Viajantes regressados das áreas afetadas que apresentem sintomas sugestivos de doença respiratória durante ou após a viagem devem ligar 808 24 24 24 (SNS24) antes de se deslocarem a um serviço de saúde, informando sobre a sua condição de saúde e história de viagem, seguindo as orientações que vierem a ser indicadas.

Assista a este vídeo preparado pela Organização Mundial da Saúde que fornece mais informações sobre este vírus:

 

Para mais informações pode consultar os seguintes sites:

Para as últimas notícias sobre este vírus pode consultar os seguintes sites:

LER MAIS