Dióspiro: propriedades nutricionais

Sabia que o dióspiro é uma boa fonte de vitamina A e de vitamina C? Conheça melhor este fruto que poderá encontrar nos meses de outubro a dezembro.

Quando faz frio sentimos muitas vezes vontade de mudar a nossa alimentação no inverno e ingerir alimentos mais pesados e quentes. Fará sentido?

Qual a origem do dióspiro e onde o podemos encontrar?

O dióspiro, cientificamente conhecido por Diospyros kaki, é originário da China e é cultivado desde o século XVII. Atualmente é maioritariamente produzido na China, Japão, Coreia, Brasil, Índia, Itália e Espanha. Em Portugal, é produzido principalmente na zona do Algarve.

Quando e como colher e conservar?

A época de produção e consumo do dióspiro é entre outubro e dezembro. O dióspiro pode ter coloração avermelhada, alaranjada ou até amarelada. A sua pele é muito sensível, pelo que deve ser manipulada cuidadosamente.
O amadurecimento do dióspiro é muito rápido e para evitar o seu aceleramento não o deve colocar juntamente com outros frutos. De forma a conservá-lo por mais tempo, poderá armazená-lo no frigorífico. Deverá preferir dióspiros que tenham conservado o pedúnculo e cuja pele esteja intacta e sem manchas ou fissuras.

Como consumir?

É possível consumir-se este fruto de diversas formas, contudo devemos privilegiá-lo sob a sua forma natural, de modo a conservar as suas propriedades nutricionais. Prefira-o muito maduro, de forma a atenuar a sensação de adstringência – esta sensação deve-se à presença de taninos (que se encontram em maior número quando o fruto não está maduro) e leva a que as mucosas da boca se contraiam.

Existem dois tipos de dióspiro que são diferenciados pela sua forma de consumo:

  • Dióspiro “de roer”

Tem a polpa mais rija, é alaranjado/amarelado e poderá ser consumido como uma maçã, mas também em saladas, com iogurte, em sumos naturais, em gelados ou compota. Há ainda quem o consuma assado com um pouco de canela.

  • Dióspiro “de abrir”

Tem a polpa mole, é avermelhado e é nutricionalmente mais rico em taninos (antioxidantes). O dióspiro de polpa mole poderá ser cortado ao meio e consumido com uma colher.

Quais as propriedades nutricionais do dióspiro?

Uma porção deste fruto corresponde a um terço/metade de dióspiro (aproximadamente 95g – peso em bruto).

Nutricionalmente, o dióspiro é/tem:
Rico em açúcares e, consequentemente, tem um elevado valor calórico (por 100g contém 58kcal e 15g de hidratos de carbono);
Rico em carotenoides, responsáveis pela sua coloração, contribuindo para assegurar cerca de 22% da Dose Diária Recomendada (DDR) de vitamina A;
Para além de ser uma boa fonte de vitamina A é também uma boa fonte de vitamina C (3mg por 100g de fruto);
Rico em potássio (228mg por 100g de fruto);
Teor relevante de cálcio, fósforo e magnésio;
Teor elevado de taninos (maior teor nos avermelhados e de polpa mole), antioxidantes que, segundo estudos relevantes, contribuem para a redução do risco de doença cardiovascular e na redução do risco de alguns tipos de cancro;
Rico em fibras solúveis, como pectinas e mucilagens, importantes para promover a sensação de saciedade, na regularização do trânsito intestinal e na redução do colesterol;
Muito rico em água, com cerca de 80% de água na sua constituição.

Tabela sobre as propriedades nutricionais do dióspiro

Autoria:
Joana Bernardo, nutricionista do Hospital Lusíadas Lisboa, Clínica Lusíadas Almada e Clínica Lusíadas Parque das Nações

Especialidades em foco neste artigo:
Nutrição Clínica