Desejos na gravidez: têm explicação?

Durante a gravidez muitas mulheres desejam doces, entre outras coisas bizarras como barro, cinzas, pasta de dentes ou terra. Cristina Maia Barbosa, ginecologista e obstetra do Hospital Lusíadas Lisboa, explica porquê.

As mulheres sentem desejos na gravidez em parte devido às flutuações hormonais

Acordam a meio da noite capazes de devorar um chocolate, uma caixa de bolachas ou com um desejo estranho de comer terra, sabonete, gelo, carvão… É esta a realidade de cerca de 75% das grávidas, segundo um inquérito realizado pelo site gurgle.com, especializado em maternidade, que revelou, ainda, que o número de mulheres com desejos súbitos por alimentos cresceu 45% nos últimos trinta anos.
“Além disso, a pesquisa indica que apenas 8% das entrevistadas disseram sentir desejos durante a madrugada, uma vez que as vontades são mais frequentes no período da tarde e da noite”, adianta Cristina Maia Barbosa, ginecologista e obstetra do Hospital Lusíadas Lisboa. Qual é o motivo para os desejos na gravidez? “As opiniões dividem a comunidade científica”, avança.

“A nutricionista da Universidade de Sheffield, Fiona Ford, acredita que essa diferença entre as grávidas atuais e as de antigamente, deve-se ao facto de existir maior disponibilidade de alimentos, enquanto outros apontam para deficiências nutritivas ou para as flutuações hormonais.”

Outros falam em carências nutricionais espoletadas pelo facto de a grávida ter que dividir os nutrientes com o feto, mas nem todos concordam. Para Elizabeth Somer, nutricionista com vários livros publicados, não há ligação nem comprovação científica entre os desejos na gravidez e as necessidades do corpo de uma mulher grávida. “Se as pessoas tivessem desejos porque o corpo precisa de alguma coisa, comeríamos mais brócolos e menos chocolate”, afirma.

Eis as diferentes opiniões sobre os desejos na gravidez:

  • Carências nutricionais

A vontade de comer cinzas ou o reboco de uma parede pode ser indício de uma deficiência de zinco e cálcio. Quanto ao desejo por doces pode estar relacionado com a hipoglicemia (quando se fica muito tempo sem comer ou quando há um desequilíbrio no metabolismo de hidratos de carbono) e a vontade de comer algumas frutas exóticas pode significar falta de vitaminas. “Assim o desejo por carne vermelha seria um indicativo claro da necessidade de mais proteínas e a falta de magnésio originar o desejo por chocolate”, explica Cristina Barbosa.

  • Flutuações hormonais

As hormonas HCG (Gonadotropina coriónica humana) e progesterona libertadas durante a gestação são as grandes responsáveis pela alteração do apetite. São eles que levam a uma mudança do paladar, olfacto e do pH da boca. A grávida pode começar, então, a sentir vontade de comer alimentos que não gostava e a enjoar outros que até aí adorava.

Mas… não há motivos para preocupação

Os alimentos libertam dopamina, serotonina e endorfina, substâncias que geram prazer e melhoram o humor da gestante que pode estar instável durante a gravidez.“Pode ser que ninguém saiba por que surgem essas vontades excêntricas durante a gravidez, mas como a maioria dos desejos e das aversões acabam sendo mais curiosos do que sérios, não devem constituir motivo de preocupação”, assegura a ginecologista.

Especialidades em foco neste artigo:
Ginocologia e Obstetrícia

 

Se vive na zona de Almada e quer esclarecer este e outros temas sobre maternidade, a Clínica Lusíadas Almada (no Almada Forum) tem um curso para os futuros pais onde pode esclarecer todas as dúvidas e mitos sobre a gravidez com a nossa equipa multidisciplinar.