Como se pode identificar o autismo?

Há vários critérios que permitem identificar e diagnosticar o autismo. Conheça-os.

Como identificar o autismo? A Associação Americana de Psiquiatria lista alguns dos critérios

O autismo é uma perturbação do desenvolvimento do cérebro em que as pessoas têm dificuldade de comunicação e nas interações sociais, podendo apresentar ainda padrões de comportamento, interesses e atividade fora do habitual. Por isso mesmo, há um conjunto de critérios de diagnóstico que ajudam os clínicos a identificar o autismo.

Identificar o autismo

Para se identificar o autismo pode recorrer-se à definição do Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSM IV – TR)(1), manual norte-americano usado pela Associação Americana de Psiquiatria (EUA), e que lista os seguintes critérios:

A

Reunir um total de seis ou mais itens nos défices de interação social (1), comunicação (2) ou comportamento (3), ou pelo menos dois itens na interação social (1) e um na comunicação (2) e no comportamento (3) para se identificar o autismo.

 

1. Interação social

Défice qualitativo manifestado por duas das seguintes características:

  • Acentuado défice no uso de múltiplos comportamentos não verbais tais como contacto ocular, expressão fácil, postura corporal e gestos reguladores da interação social;
  • Incapacidade para desenvolver relações com os companheiros, adequadas ao nível de desenvolvimento;
  • Ausência da tendência espontânea para partilhar com os outros prazeres, interesses ou objetivos (por exemplo; não mostrar, trazer ou indicar objetos de interesse);
  • Falta de reciprocidade social ou emocional.

 

2. Comunicação

Défices qualitativos quando se manifesta pelo menos uma das seguintes características:

  • Atraso ou ausência total de desenvolvimento da linguagem oral (não acompanhada de tentativas para compensar através de modos alternativos de comunicação, tais como gestos ou mímica);
  • Nas pessoas com um discurso adequado, uma acentuada incapacidade na competência para iniciar ou manter uma conversação com os outros;
  • Uso estereotipado ou repetitivo da linguagem ou linguagem idiossincrática;
  • Ausência de jogo realista espontâneo, variado, ou de jogo social imitativo adequado ao nível de desenvolvimento.

 

3. Comportamento

Padrões de comportamento, interesses e atividades restritos, repetitivos e estereotipados, que se manifestam pelo menos por uma das seguintes características:

  • Preocupação absorvente por um ou mais padrões estereotipados e restritivos de interesses que resultam anormais, quer na intensidade quer no objetivo;
  • Adesão, aparentemente inflexível, a rotinas ou rituais específicos, não funcionais;
  • Maneirismos motores estereotipados e repetitivos (por exemplo, sacudir ou rodar as mãos ou dedos ou movimentos complexos de todo o corpo);
  • Preocupação persistente com partes de objetos.

 

B

Atraso ou funcionamento anormal em pelo menos uma das seguintes áreas, com início antes dos três anos de idade: (1) interação social, (2) linguagem usada na comunicação social (3), jogo simbólico ou imaginativo.

C

A perturbação não é melhor explicada pela presença de uma Perturbação de Rett ou Perturbação Desintegrativa da Segunda Infância.

Nota final:

O transtorno de Asperger obedece aos mesmos critérios de diagnóstico do autismo, mas não apresenta atrasos na linguagem nem atrasos cognitivos significativos nos primeiros 3 anos de vida.

(1) Fonte: DSM-IV-TR, Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, 4ª ed., Texto Revisto, Lisboa, Climepsi Editores, 2002)

 

Especialidades em foco neste artigo:
Psiquiatria