Os jovens e as novas tecnologias

A evolução da tecnologia, assim como o acesso à mesma foram muito rápidas. Houve pouco tempo para aprender a utilizá-la com conta, peso e medida. Siga estas três regras e passe-as aos mais novos.

“No que diz respeito aos jovens foi dado um salto muito rápido na disponibilização do acesso, sem tempo de aprender a utilizar e a integrar de forma equilibrada na nossa vida”, explica Alexandra Rosa, psicóloga no Hospital Lusíadas Lisboa. “Eles entram nos chats, na internet, nos jogos online. Chegam ao ponto de acordar a meio da noite para um ataque num jogo de guerra, ou para dar atenção nos jogos de cultivo das quintas – que obrigam a uma presença constante”, diz. “É muito comum jovens adolescentes, ou no início da idade adulta, com alguma sintomatologia de depressão e ansiedade, usarem muito o computador, a internet, os jogos, mas não desenvolverem outros interesses”.

Novas tecnologias: 3 regras simples

  1. Aprender a selecionar o que interessa, o que é útil;
  2. Uma semana por ano, as famílias deviam desligar totalmente. Fazer uma espécie de desintoxicação da tecnologia;
  3. Racionar e racionalizar: quando ligamos o computador, devemos lembrar-nos exatamente do que procuramos e determinar durante quanto tempo vamos estar ligados.

Qualquer alteração nos hábitos dos mais novos tem de ser feita por toda a família. Torna todo o processo mais fácil e mais rápido.

 

Se quiser saber mais, leia aqui:

Siga a dieta digital de Daniel Sieberg

8 razões para praticar desporto

Há doenças no trabalho