O copo menstrual é melhor do que um penso ou tampão?

Apesar de serem pouco conhecidos pela maioria das mulheres, são uma alternativa mais barata e ecológica. Conheça as vantagens e os cuidados a ter na utilização.

Copo menstrual: vantagens e desvantagens

O que é o copo menstrual?

O copo menstrual é uma pequena taça feita de um material antialérgico que coleta o fluxo menstrual dentro da vagina. Pode ser reutilizado por dez anos e por isso tem um impacto ambiental muito inferior quando comparado com pensos e tampões, que podem levar entre 100 e 400 anos a decompor-se. É higiénico (não liberta odores) e económico (cada copo custa entre 20 e 25 euros). “Ao contrário dos pensos e dos tampões não é absorvente. É uma alternativa prática, higiénica, económica e ecológica”, considera a ginecologista Daniela Sobral, do Hospital Lusíadas Lisboa. Como não contém químicos nem aditivos, presentes nos métodos mais comuns, não acarreta risco de infeção ou alergia.

Como funciona o copo menstrual?

É muito fácil, garante a médica. Basta inserir o copo menstrual no canal vaginal, tal como os tampões – se estiver bem colocado, a mulher não o sente. “Uma vez dentro da vagina, o copo menstrual retoma a sua forma original, ajustando-se e formando vácuo, para impedir qualquer vazamento”, esclarece a médica. Para retirá-lo é só puxar a pega ou apertar a base para quebrar o vácuo, acrescenta. Depois, o sangue coletado pode ser esvaziado na sanita, antes de o copo ser lavado e colocado de novo.

Que cuidados deve ter na colocação?

É muito importante lavar bem as mãos, antes e depois da sua introdução e remoção. De seguida, o copo deve ser dobrado da forma mais confortável possível, antes de afastar os grandes lábios e inseri-lo na vagina. Para facilitar a introdução, algumas pessoas usam um lubrificante à base de água, diz Daniela Sobral.

Com que periodicidade se deve mudar o copo menstrual?

Ainda que algumas pessoas o retirem antes, pode ser usado até 12 horas, seja de noite ou de dia. “Tem maior capacidade do que outros métodos”, garante a especialista. E acrescenta: “Os tampões, por exemplo, não devem ser utilizados por períodos superiores a quatro horas, por causa do risco de infeção”.

Como devo escolher o copo menstrual?

Existem várias marcas à venda no mercado, mas cabe a cada pessoa perceber com a qual se sente mais confortável. Há várias opções em termos de tamanho (para quem teve ou não filhos), de maleabilidade e tipos de pega para remoção. Há também copos apropriados para meninas mais novas, exemplifica a ginecologista.

Entre os copos reutilizáveis e os descartáveis, quais devo escolher?

“Os reutilizáveis são mais económicos e amigos do ambiente”, afirma Daniela Sobral. Para limpá-los, deve utilizar-se água fria corrente (de manhã e à noite). “Se estiver quente, pode tornar o material demasiado maleável, dificultando a sua abertura dentro da vagina”, alerta Daniela Sobral, acrescentando que a limpeza do copo menstrual deve ser feita de 12 em 12 horas (de manhã e à noite). Depois, no fim de cada menstruação, recomenda-se a sua imersão, três a cinco minutos, em água a ferver – é fundamental que esteja totalmente coberto para ficar bem esterilizado. No fim, depois de bem seco para evitar fungos, deve ser guardado dentro da respetiva caixa até ao mês seguinte.

Colaboração:
Daniela Sobral, ginecologista do Hospital Lusíadas Lisboa

Especialidade em foco neste artigo:
Ginecologia e Obstetrícia