Casa à prova de alergias

A primavera é uma das estações do ano mais propícia à reprodução dos ácaros. Saiba como se preparar para os evitar.

Casa à prova de alergias

O pó está limpo. Os lençóis foram mudados. E o gato está confinado a uma divisão. Contudo, os sintomas da alergia persistem? Se se tratar de rinite, espirra, sente congestão nasal, corrimento e comichão. Ou tem os olhos vermelhos, lacrimeja e sente comichão – é a conjuntivite que aparece outra vez. Se tiver asma, pode tossir, ter dificuldade em respirar ou sentir um aperto no peito. No entanto, fez os possíveis para garantir que a sua casa está livre de ácaros, certo? Talvez não.

A alergologista Teresa Moscoso, da Clínica de Stº António, refere que os seus pacientes, “no geral, sabem quais os cuidados a ter para evitar a exposição”, mas “talvez o colchão seja negligenciado aquando da limpeza doméstica” – devia ser aspirado e não é. E os ácaros estão lá. Estes “constituem os alergénios mais frequentemente indutores de patologia alérgica”, diz a alergologista. “São artrópodes presentes de um modo quase constante nas nossas habitações. Alimentam-se preferencialmente de partículas resultantes da descamação humana, pelo que os locais onde existem em maior quantidade são os colchões, almofadas, alcatifas, tapetes e cortinas.”

Apesar de presentes durante todo o ano, a humidade e a temperatura relativamente elevada na primavera e no outono criam as “condições ótimas” para os ácaros, que então se reproduzem. E, além destes, a sua casa também pode ter fungos, baratas e pelos de animais. E todos eles são também responsáveis por alergias, sabia?  Então, o que fazer?

 

Os sofás

Prefira a pele para os estofos dos sofás e das cadeiras da sala de jantar. Evite o veludo e os tecidos sintéticos porque, de um modo geral, são mais quentes e por isso criam mais humidade à superfície. Pode usar capas de algodão amovíveis e laváveis.

 

 

 

O chão

Deve escolher um pavimento de mosaico ou madeira envernizada, de preferência.

 

 

 

 

As lareiras

Controlar a humidade é importante para reduzir a propagação dos fungos e dos ácaros. Deve-se evitar o aquecimento excessivo do ar.

 

 

 

Os animais

As alergias mais comuns a animais são as que estão relacionadas com gatos, cães, coelhos, hamsters e aves ornamentais. “Mas há outros animais que podem induzir uma resposta alérgica devido ao pelo e outros detritos da pele, à urina e à saliva”, explica Teresa Moscoso. “Se está fora de questão os animais ficarem no exterior da casa, tem de os confinar a uma área da casa e não se esqueça de nunca os deixar entrar no quarto”, aconselha a alergologista da Clínica de Stº António.

 

 

 

A cama

Os lençóis devem ser de algodão e os edredões e almofadas de fibras sintéticas, que permitem lavagens frequentes a mais
de 60 ºC, temperatura a que se conseguem eliminar os ácaros. Evite os enchimentos de penas. O colchão tem de ser aspirado com frequência e a roupa da cama mudada uma vez por semana.

 

 

Os tapetes

As carpetes e a tapeçaria retêm inúmeros alergénios, como ácaros, fungos e faneras de animais. Se optar por ter um tapete, os de algodão e laváveis são permitidos (desde que sejam lavados com frequência na máquina a uma temperatura mínima de 60ºC).

 

 Por Sara Capelo

Este é um dos artigos que pode ler na Revista Lusíadas nº10